Sexta-feixa, 12 de Agosto de 2022
Sexta-feixa, 12 de Agosto de 2022
Slogan Jornal Informal

COTIDIANO

MICHELLE PROTZENKO, um talento da Academia Brasileira de Odontologia agora no JORNAL INFORMAL



Michelle Protzenko é Odontopediatra, Especialista em Ortopedia dos Maxilares, Mestre e Doutoranda em Ciências da Saúde/ Fiocruz e integra a Academia Brasileira de Odontologia (ABO)

MICHELLE PROTZENKO, um talento da Academia Brasileira de Odontologia agora no JORNAL INFORMAL

A cirurgiã-dentista, especialista em Odontopediatria (Abeno/SP e Ortopedia dos Maxilares na Abom/RJ), pós-graduada em Ortodontia na NYU, além de mestre em Ciências da Saúde na Fiocruz e doutoranda em Ciências da Saúde na Fiocruz, ambos no Instituto Fernandes Figueira com ênfase em saúde da criança e da mulher, Michelle Protzenko, 49 anos, passa a integrar a equipe de articulistas e colaboradores do Jornal Informal neste segundo semestre.

A renomada Michelle Protzenko é membra da diretoria da Associação Brasileira de Ortopedia dos Maxilares, diretora da Biblioteca da Academia Brasileira de Odontologia, Imortal da ACBO, ex-professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e realiza Teaching Internship como bolsista CAPES na Universidade Federal Fluminense (UFF).

"Por que eu escolhi esta área profissional? Por que faz parte da minha história de vida . Filha de um médico e uma dentista, cresci nos corredores de um hospital focado em deformidades craniofaciais , meu atual foco de trabalho. Eu fiz a faculdade de biologia pela UERJ, depois faculdade de Odontologia na Unesa/RJ, especialização em odontopediatria, fiz parte do quadro de saúde do Exército Brasileiro como primeira e única mulher num batalhão de Infantaria, servindo como tenente dentista , saindo após oito anos de serviço e sempre trabalhando com deformidades Craniofaciais  e dor orofacial em crianças e adultos. Fui indicada para a diretoria da ABOm para compor o grupo de dentistas da ABFLP e para assumir a cadeira de número 31 como Imortal da Academia Brasileira de Odontologia", resume.

 

A ACADEMIA BRASILEIRA DE ODONTOLOGIA (ABO)


Na Academia Brasileira de Odontologia, Michelle Protzenko ocupa o cargo de diretora de Biblioteca. Hoje, pela primeira vez, a Academia Brasileira de Odontologia (ABO) é presidida por uma mulher. Nos Anais da Academia Brasileira de Odontologia – AcBO, publicados em 1967, ficou registrado que: “A ideia de uma Academia de Odontologia foi defendida, inicialmente pelos Professores Gerson de Assis Martins, Cirne Lima e Antônio Campos de Oliveira, que escolheram o Rio de Janeiro como ponto de partida. Os associados como o Professor Frederico Eyer e outros denominados colegas, decidiram que daqui deveria partir o lançamento deste empreendimento.”

Essas lideranças convocaram uma assembleia inicial que realizou-se a 5 de outubro de 1949, na sede da Liga de Defesa Nacional no edifício do Silogeu, onde ocorreram as primeiras reuniões com o objetivo de criar a Academia, aprovar os Estatutos e escolher a sua primeira diretoria.

A primeira reunião de criação da AcBO foi considerada uma das memoráveis de quanto a classe odontológica teve notícia. Dezenove Cirurigiões-Dentistas tais como: Frederico Carlos Eyer, Paulo Macedo, Sebastião Jordão, Benjamim Gonzaga, Carlos Alves da Costa, Benjamim Baptista, Abelardo de Brio, Virgílio Moogen de Oliveira, Agnelo Cerqueira, Carlos Newlands, Almeno Ferreira de Souza, José Martins D’Alvarez, Arthur Loureiro Fernandes, Moacyr Baptista Pereira e Gualter Adolph Lutz, fundaram a Academia Brasileira de Odontologia.
 Frederico Carlos Eyer e Paulo Macedo, foram, respectivamente, o Presidente e o Secretário daquela Assembléia.
No Ministério da Educação, ocorreu a Sessão Solene de instalação da Academia Brasileira de Odontologia, no dia 25 de outubro de 1949 com a presença de autoridades da República, representantes da Sociedade, Delegações da maioria dos Estados da Federação e Cirurgiões-Dentistas do Rio de Janeiro.

Nesta ocasião, tomaram posse os membros Fundadores e Patronos: Augusto Coelho e Souza, Antônio Dias de Carvalho, Antônio Pereira da Silva, Benjamim Baptista, Henrique Carlos Carpenter, Rodolpho Chapot Prevost.

No mesmo Ato, tomaram posse como Fundadores:

Abelardo Arruda de Brito, Adalberto de Assis, Adalberto Câmara, Ademar Senna, Agnelo V. Cerqueira, Agripino Ether, Alexandre Agra, Almelo F. de Souza, Antônio Fraga Rocha, Arlindo Pereira, Arthur Loureiro Fernandes, Augusto Lopes Pontes e Baltazar M. B. Pereira.

Esta é a grande lição que podemos tirar da sabedoria Inca e aplicar à nossa AcBO. Inspiramo-nos nos nossos antepassados que a fundaram e a vivificam. Com influência contínua deles, os sucessores a trouxeram, pujante, até quando a atual Diretoria a assumiu. Hoje viva e em progresso nós, os seus continuadores, através de trabalho árduo mas gratificante, a tornamos mais forte ajustando-a aos tempos atuais globalizados, proporcionando-lhe uma Sede Própria, Revista Científica, Boletim Informativo, informatização da Secretaría, cursos de atualização, esta Home Page, dentre outras iniciativas de grande valor acadêmico.

Consolidada sua estrutura organizacional independente, o congraçamento se torna mais agradável na casa própria de onde emana o progresso científico, cultural e social indicado pelos tempos no qual vivemos de integração participativa.



Estamos cumprindo missão como nossos antecessores o fizeram – entrevendo além do nosso tempo, avistando o futuro com entusiasmo e vigor. Agradecemos ao Supremo Mandatário do Universo pela vida e dentro dela a oportunidade que nos proporciona de continuar desenvolvendo, com energia equilibrada, o trabalho dignificante pela AcBO nos lembrando da sabedoria de Albert Einstein (1879-1955) quando disse: “Há duas formas para viver a vida: uma é acreditar que não existe milagre; a outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.”

Michelle Protzenko
Odontopediatra, Especialista em Ortopedia dos Maxilares. É Mestre e Doutoranda em Ciências da Saúde/ Fiocruz.
Saiba mais pelo Instagram: @mi_protzenko

Imagens:

Daniele Brisotto
evoestagios
enfoquese
vivi portela
Lisoneide Terhorst
Padaria Santo Ângelo
Marcia Melo
Urbanize