Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

RODRIGO BERGSLEITHNER

Jennifer Scheffer, a cantora perfeita



Esta estonteante morena com rosto angelical típico de cinema francês e um olhar poético repleto de amor puro, tem a voz mais doce e encantadora desta planeta

Sempre fui um amante da boa música. Rock' n' Roll, Blues, MPB, Jazz e Clássica. Poderias me referir a diversos gênios musicais, a meu ver, e a lista tomaria enorme proporção. E quando falo em música, logo vem ao agrado a voz feminina, sempre marcante. Seja Nina Simone, Lana Del Rey, Amy Winehouse, Elis Regina, Vera Lynn , Aretha Franklin, Tina Turner, Etta James, Janis Joplin, Annie Lennox, Rihanna, entre outras.

Por vezes o cotidiano te cansa de sempre ouvir a mesma coisa e devido ao fraco mercado musical atual, com algumas raras exceções no país, passei a vasculhar a internet à procura de verdadeiras descobertas musicais, seja em filmes, seriados, telenovelas ou em breves indicações de conhecidos.

E neste descompasso entre a busca pelo novo e um som apaixonante, eis que surge uma das maiores paixões musicais em minha vida: Jennifer Scheffer.

Esta estonteante morena com rosto angelical típico de cinema francês e um olhar poético repleto de amor puro, tem a voz mais doce e encantadora desta planeta. Que surjam as críticas em me definir como exagerado, sensacionalista ou polêmico, mas dos meus sentimentos só eu posso cuidar. Peço licença aos críticos de plantão, mas curtir a voz marcante em companhia de Jennifer Scheffer é um Ode à Poesia.

Jennifer é uma das cantoras com a voz mais marcante que eu já ouvi em toda a minha vida. Além da simpatia, do encanto e de um coração enorme que irradia por onde ela encaminha seus pés em suas deslumbrantes formas. 

A doce voz desta menina terna de sorriso apaixonante é um sinônimo de um grande amor. Uma ternura que jamais senti antes. Tão bela mulher, tão linda cantora que enobrece a alma e todos os sentimentos possíveis de qualquer amante da música ou de um poeta que rabisca traços impulsionado pela magia do encanto de Jennifer.

A face perfeita desta exuberante cantora ruboriza a poesia terna guardada em seu peito somada ao encanto de seu carinho intenso em uma voz macia que acalma e nos remete aos sonhos mais lindos. São nuvens em um colo ou seriam colos nas nuvens?

A sua beleza pondera as suas perfeitas vestes em seu corpo desenhado no mais antigo grafite em um quadro perfeito que envergonharia Portinari. Jennifer é o poema perfeito. A voz marcante. A voz que ouço antes de dormir e ao amanhecer. E como é bom sonhar com o amor eterno a cada vez que aperto o Play...

 

worldcell
Mara Personal
chillys
dukkkka
meiosmokey
leonardo
apuama3
reflexo