Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

EDNA LAUTERT

Como as batatas foram parar na Prefeitura



Edna Lautert é jornalista. Integra a Academia Santo-angelense de Letras. Autora de contos, poesias, crônicas e novelas

Foi divulgado em uma emissora de rádio que durante a propaganda política o Juvenal voltou a distribuir batatas como prova de protesto pela falta de alimentos no mundo. Ninguém entendia, porém, porque as batatas eram entregues entre uma e três horas da manhã. Mas, enfim, se era para o bem do povo, tudo bem. Que se distribuam as batatas. E, claro, quem come batatas vota no Juvenal!

Passada à eleição, e o episódio ficou esquecido. Cidadezinha pequena de Jerimum, lá no interior de Ronda Matão, no desemboque do fim do mundo, quem iria pensar nessa fofoca depois que Juvenal assumiu a  Prefeitura? Quem? Se as batatas já tinham, inclusive, virado purê?  E o Juvenal eleito, claro.

_ Política se faz com batatas, elas garantem o ibope - dizia Juvenal, comemorando a grandiosidade da ideia que lhe garantiu a eleição.

Durante os primeiros dias de gestão, porém, Juvenal começou a ter problemas. Tentou construir um programa de desenvolvimento para seu município, mas não conseguia. Só havia pensado em batatas, e na campanha. Não tinha construído uma proposta de governo. Não estudou gestão administrativa e nem conhecia nada sobre administração pública. Conhecer a realidade de cada um dos moradores de sua cidade, então, impossível.  Pensou em uma forma de sair daquela saia justa. E decidiu viajar. Estreitar o relacionamento com outros municípios sempre dava ibope. E ibope era sua palavra favorita.

_Juvenal, não vai levar um presente para o prefeito de Alvorecer? – disse dona Gardênia, muito faceira, afinal, primeira-dama que se preza viaja com o prefeito.

Juvenal pensou, ponderou.

-Vou levar batatas. Sobrou um monte da campanha e preciso dar cabo delas.

Na hora de decidir quantas batatas levar, porém, ficou indeciso. Colocou uma, mais uma, e foi colocando batatas no veículo, no lugar do caroneiro. Como estava acostumado a carregar o veículo e sair distribuindo durante a campanha, e como era lerdo de pensamento, no meio da contagem acabou esquecendo a primeira-dama. Entrou no veículo e saiu, faceiro. 

Ao chegar em Alvorecer a cidade toda esperava o ilustre visitante. Uma recepção havia sido montada na escadaria de acesso ao pátio da Prefeitura, onde uma multidão o aguardava. Desceu e foi recepcionado pelo prefeito municipal, que logo foi perguntando:

– E ai homem, e as novidades?

Juvenal pensou que o amigo falava do presente.

-Ah, sim, que descuido o meu. Esperem -  Foi logo abrindo a porta do caroneiro. Por estar o veículo estacionado em uma ladeira, as batatas rolaram pelas escadarias e atingiram a multidão, gerando um grande tumultuo. Que não ficou despercebido da imprensa.

Finalmente Juvenal havia entrado para a história, como ele tanto queria. (Adaptada do original Como as Batatas Foram Parar na Política )

ascencao
reflexo
Mara Personal
aquino
veiga douglinhas
dukkkka
redemaq
mira3