Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018

VAMOS LER

Sartori abre oficialmente a colheita do milho 2017/2018 em Giruá



Também participaram da cerimônia o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen; os deputados estaduais Aloísio Classman, Edson Brum, Eduardo Loureiro, Gabriel Souza e Zilá Breintebach

As primeiras espigas de milho da safra 2017/2018 no Rio Grande do Sul foram colhidas de forma simbólica pelo governador José Ivo Sartori, demais autoridades e agricultores, nesta sexta-feira (26). A 7ª edição da abertura oficial da colheita estadual ocorreu na Fazenda Agropecuária Ouro Verde da família Beutinger, no interior do município de Giruá, no Noroeste do estado. Com 731 mil hectares de área plantada, a expectativa é de que sejam colhidas 5,2 milhões de toneladas de milho até março, de acordo com a Emater/RS. A produtividade média deve ser de 7 mil quilos por hectare, embora lavouras com utilização de tecnologias mais avançadas e com irrigação ultrapassem os 12 mil quilos por hectare.

“É uma grande alegria participar, mais uma vez, da abertura oficial da colheita do milho. A colheita é sempre um momento de celebração porque é o encerramento e a recompensa pelo trabalho executado. Embora a safra deste ano tenha ficado um pouco abaixo do ano passado, não é motivo de desânimo. Ao contrário, dará ainda mais força para continuar lutando por um amanhã cada vez melhor”, ressaltou o governador durante a cerimônia.

Otimista com a estimativa de crescimento do PIB gaúcho em 2017, Sartori destacou que o Rio Grande do Sul é um dos melhores produtores de sementes do Brasil e deve produzir 33 milhões de toneladas de grãos nesta safra. “Da nossa parte, temos sido parceiros, levando políticas públicas e orientações aos produtores para fomentar o setor. Vamos continuar sempre junto com esse setor produtivo, que impulsiona a nossa economia”, reforçou. 

Para o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, a cultura do milho é de grande relevância para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. “Cumpre uma função muito importante no processo de melhoramento do solo. Nesta safra tivemos dificuldades em função do clima e do preço do milho. Mas, por determinação do governador Sartori, trabalhamos em políticas públicas que buscam gerar estímulo ao produtor, com os programas de irrigação e de conservação da água e do solo, afirmou Polo. 

Conforme o coordenador da Câmara Setorial do Milho, o engenheiro agrônomo Valdomiro Haas, o milho produzido no Rio Grande do Sul é o principal insumo da produção animal, abastecendo as granjas de aves e suínos, além de também ser utilizado na alimentação humana. 

Produção de milho no RS e no Brasil 

Responsável por 6% da produção nacional, o estado oscila entre a sexta e a sétima colocações entre os maiores produtores do cereal no país. A Região Noroeste, com destaque para o Planalto e Missões, é a que mais se destaca na produção do grão para a venda comercial. O Brasil ocupa a terceira posição mundial, perdendo apenas para os Estados Unidos e a China. 

Giruá 

A cada ano uma cidade e uma propriedade são escolhidas para sediar a abertura oficial da colheita. O critério utilizado para a escolha é o uso das tecnologias. A produção de milho em Giruá em 2017 foi de 36.210 toneladas, 0,7% da produção gaúcha, em 4.330 hectares e uma produtividade de 7.500 quilos por hectare. 

Fazenda Agropecuária Ouro Verde 

A Agropecuária Ouro Verde, fundada pelos irmãos Nelson Edemar Beutinger e Germano Reinold Beutinger, tem 52 anos de existência. Atualmente, possui uma área cultivada de 2.400 hectares, dos quais 1.200 hectares de área própria e mais 1.200 de área arrendada. Dedica-se especialmente à produção de soja, trigo e milho, contando com a colaboração de 14 funcionários. 

Também participaram da cerimônia o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen; os deputados estaduais Aloísio Classman, Edson Brum, Eduardo Loureiro, Gabriel Souza e Zilá Breintebach; o deputado federal Luiz Carlos Heinze, além do prefeito de Giruá, Ruben Weimar; prefeito de Santo Ângelo,Jacques Barbosa, e os presidentes da Apromilho, Ricardo Meneghetti, e da Abramilho, Alysson Paolinelli.

Texto: Leonardo Souza

Foto: Daniela Barcellos/Palacio Piratini 

carrossel
redemaq
fecopel
reflexo
larinha
leonardo
Mara Personal
kingswayyyyy