Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

EDNA LAUTERT

CULTURA: um jogo de cartas marcadas?



Edna Lautert é escritora e jornalista

Muitas pessoas nos param nas ruas para perguntar: Edna, como está a cultura do seu município? E eu procuro sempre responder, vai bem, vai bem. 


Na verdade, isso é uma utopia. A cultura vai mal no País, nos estados e municípios. Na área de literatura, setor que eu represento, não temos mais vale livros, não temos incentivo via Fundo Municipal de Cultura, não temos dinheiro para editar novos livros, não temos feiras de livro.


Não sei os demais setores (claro que sei, só não tenho prerrogativa para falar em nome de), por isso não vou nem comentar. O que acontece: as pessoas dizem, Edna, você está presidente de uma entidade e, portanto, não pode se manifestar. Quem disse isso??? Eu não disse isso, muito pelo contrário, antes de ser presidente de uma entidade eu sou agente cultural sim senhor. Com mais de quatro décadas dedicada a arte como música, teatro, literatura, e áreas afins. E a hora que eu quiser me manifestar eu o faço...se alguém não gostar? Não nasci para agradar ninguém - portanto se agradar um já é vantagem!

Confesso que até agora ainda estou procurando entender o que é essa tal de Conferência Municipal de Cultura que ocorreu na sexta-feira. É que sou muito burra, também - tenho dificuldade de aprendizado, e quem sabe daqui dois anos vou poder saber.

Primeiro eu vou ao órgão competente saber notícias e recebo a informação que é em novembro. Depois, eu leio na mídia social que vai acontecer no dia seguinte: sim, no dia seguinte. Cancelo meus compromissos para ir - aliás, cultura é meu compromisso - pois as pessoas acreditam que eu sou da elite e não tenho nada para fazer, tudo me vem de mão beijada, então eu posso estar disponível sempre. Bem, fiz meu dever de casa, até chamei amigos e fui ao evento. Muito importante, aliás, diga-se de passagem, a palestra. E significativa também. E os eixos temáticos? (será que vão ocupar as análises dos eixos temáticos ou irão para o lixo como disseram que foi as últimas duas conferencias que participamos??? - poxa, também não sei)...

Voltando, antes da palestra, ao entrar no recinto recebo a informação que a eleição do conselho é individual - não pode ter chapa. Ok, tudo bem, a gente só tem interesse mesmo na literatura....
Que surpresa, mais tarde ouvimos a informação oficial no microfone: a regra é essa, essa e essa: pode concorrer chapa - beleza...vamos perguntar se alguém vai concorrer.... Opa, tem uma chapa??? - que legal, temos 15 minutos para montar uma outra chapa.... Corre, corre cidadão, vai montar uma chapa....corre, tá acabando o tempo, opa, cadê o edital onde diz como montar a chapa - não tem, poxa, não tem. E a cópia do regimento interno? Não tem....que pena, não tinha nada disso para mim - será que tinha para os outros?


Não pude saber, estava correndo para montar uma chapa....que pena, não tem chapa!!!
É, não tinha gente suficiente....lastimável. Faltou uma pessoa - pois nem todos haviam inscrito seus nomes das seis as sete....claro, estava lá no edital que ninguém leu que o horário da inscrição de candidatos e chapas seria esse - claro que nunca ninguém suspeitou que essa regra chegaria a todos por telepatia....


Bem, mas pelo menos podemos descansar em paz....havia gente suficiente para a chapa dos organizadores do evento....que bom, pelo menos tinha uma chapa - mesmo que a sua representação de literatura não me represente. Sabe o que é? Sou chata mesmo, gosto de ser representada por pessoas que defendem pessoas, planos de ações, ideias coletivas. Uma ideia excludente não me representa. E depois, faço parte de uma entidade onde a literatura é pensada de forma ampla, onde pessoas respeitam a trajetória de cada um, e onde se trabalha em prol do desenvolvimento cultural e uma literatura unida.

E agora? Estou sem representante na literatura? Nossa, vou morrer! - trágico não? Talvez eu me limite, ou faça como fez a ave sonora...vou passarinhar!

Uns sonham em mudar o mundo....outros acompanham de perto e percebem que o sonho é só algo que está em projeto na sua mente. E, posto à prova, jamais saiu do debate. Entra ano e sai ano, vem governo e vai governo...

mira3
apuama3
veiga douglinhas
reflexo
dukkkka
carrossel escola
chillys
fuscar