Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

GREICE QUELLE C. DA COSTA

Você sabia que o tédio é importante para o seu filho?



Com tantas alternativas disponíveis hoje em dia como videogame, brinquedos, livros, filmes, as crianças entediam-se cada vez mais rápido

Você certamente já deve ter ouvido seu filho (a) queixar-se de que “não tem nada para fazer”. Com tantas alternativas disponíveis hoje em dia como videogame, brinquedos, livros, filmes, as crianças entediam-se cada vez mais rápido.

O mundo atualmente exige que você seja produtivo, o que acaba fazendo com que se deixe em segundo plano, momentos importantes como um almoço em família, atividades físicas, o tempo para a espiritualidade, entre outros.

Os pais preocupados em preparar os filhos para que no futuro sejam profissionais bem sucedidos organizam uma rotina cheia de atividades para eles: inglês, natação, judô, balé, piano, além das tarefas escolares, o que faz com que a criança tenha pouquíssimo tempo disponível, afetando diretamente o seu desenvolvimento, pois, quando estas crianças não estão envolvidas com alguma atividade acabam tendo o sentimento de que está faltando algo e de que precisam estar sempre ocupadas.

É importante que as crianças tenham outras atividades, mas é necessário equilíbrio. Elas precisam de momentos em que não tenham nada para fazer, e mais importante ainda, precisam compreender que não há nada de errado nisso. Além do mais, momentos de tédio ajudam a criança a desenvolver a criatividade e habilidades que podem fazer a diferença por toda a sua vida. Portanto, quando a criança se queixar que não tem nada para fazer, os pais não precisam se preocupar em sempre tentar achar alguma atividade para ela, uma boa alternativa é deixá-la um pouco sozinha, fazendo as coisas no seu tempo ou mesmo aprendendo a tolerar aquele momento sem sentir-se angustiada. Permita que a criança drible este tédio sozinha (o que não significa deixá-la sem ninguém por perto), para que ela aprenda a lidar com seu tempo livre e quando for adulta saiba da importância de ter um tempo para si mesma sem sentir-se culpada por isso.

Vale mencionar que este momento também pode ser aproveitado para que os pais juntem-se à criança e fiquem todos sem fazer nada, transformando o tédio (angústia) em prazer!

Psicóloga Greice Quelle C. da Costa

CRP: 07/22690

Pós-graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional e em Neurociência e Educação

Contato: 55-984457579

leonardo
toscani
carrossel escola
ascencao
apuama3
veiga douglinhas
jairo
fuscar