Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

RODRIGO BERGSLEITHNER

A virtualidade matou o guarda!



Como diz o poeta Pino, "a vida está nos pequenos detalhes". Mas, não é o celular! 

É preciso abandonar o maior de todos os vícios: o ódio nas Redes Sociais. Todos os dias, pela manhã, a maioria das pessoas, ainda na cama, fuxica as suas redes sociais antes de levantar da mesma. Estará ali, naquele aparelho de telefone celular, smartphone ou tablet a consequência do seu dia, um diagnóstico que apontará se ele será bom ou ruim. Por quê? Por que a sociedade está ficando doente e se acostumando a dar um bom dia à tecnologia ao invés de abrir a janela e agradecer o mundo maravilhoso que têm diante de seus olhos.

Quando você diz bom dia à tecnologia, logo provocará um desentendimento e uma discordância que te farão acordar de mau-humor e bastará um acidente doméstico pelo caminho para você xingar a mãe do vento e estragar toda a sua manhã.

É simples, por que nas redes sociais o cardápio do seu bom dia será ver alguém criticando o Bolsonaro, defendendo o Lula, pedindo a prisão do Lula, apoiando o Bolsonaro, fazendo piadinhas do Internacional e afirmando que o Grêmio é o melhor time do país, chamando o Grêmio de birebaixado e o Inter de campeão de tudo e por aí vai...

Vai ter gente reclamando do atendimento da empresa tal, outros compartilhando informações sem checar a fonte e provocando um reboliço midiático, briga de coxinha e petralha, vai ter notícia de alguma coisa que o preço subiu, outra mostrando um assassinato de fulano de tal, o bebê que nasceu com problemas e a família pede doações para o seu tratamento...Quer mais: outra sobre mais uma mulher que sofreu abuso, que vai motivar mais uma feminista a tentar mostrar o quanto a sociedade precisa mudar, o que vai gerar comentários misóginos, e por aí vai. 

O perigo é que as Redes Sociais deram uma sensação de poder, onde todo mundo pode ser o personagem que quiser, ter a fama que querer e se orgulhar dizendo que segue o Ashtoh Kutcher e ele mandou HASH TAG CORAÇÕES ou que curtiu a foto da Anitta e ela escreveu "obrigada, meu anjinho".

O perigo disso tudo é que assim como expressamos as nossas opiniões, logo estamos menos tolerantes com a opinião alheia. Chega-se ao ponto de escrever 40 mil comentários contrários a uma publicação com o intuito de comprovar que a pessoa que postou o texto está totalmente errada, como se a vida se tornasse uma juízo final na Comarca de Zuckberg.

Há muita coisa interessante na internet, mas as pessoas se perderam nas redes sociais e hoje lêem notícias se as mesmas chegam em suas timelines e basta criar um blog e criar mil notícias falsas e milhares compartilharão e ainda "baterão bocas" pelo caminho. Enquanto isso ninguém agradece pela vida, poucos percebem o mundo, os livros não são lidos, a música deixou de ser escutada nas vitrolas e quando as pessoas se encontram para tomar um café ou namorados para almoçarem, cada um brinca com o seu celular de estimação ao ponto de substituir um delicioso beijo na boca por um coraçaozinho no Instagram. 

Mude o foco. Desperte pra vida! Mude o seu humor e viva intensamente. Vivemos em uma Era onde no meio da relação sexual, pessoas param ao ouvir o barulhinho do Whatsapp. Isto está errado. O mundo está errado. Nós "pecamos". Mas ainda há tempo de abrir a janela, cantarolar fazendo o café-da-manhã, fitar a mulher amada enquanto saboreiam um café e sentir a pele, o toque e o desejo carnal nos sinais não-verbais do flerte. Como diz o poeta Pino, "a vida está nos pequenos detalhes". Mas, não é o celular! 

Sejamos felizes! Boa noite!

 

toscani
arcoiris
Mara Personal
meiosmokey
reflexo
worldcell
jairo
leonardo